Sonia Denicol, a Madame do Vinho traz o Velho do Museu e novidades!

desconhecidoA sommelière Sonia Denicol, mais conhecida como Madame do Vinho, mas que também poderíamos tratar por La Grande Dame do Vinho, está de logotipo novo e com novos velhos vinhos, como o lendário Velho do Museu.
Veja abaixo a carta que nos mandou:
Caros amigos,
 
Estou muito feliz neste ano de 2014 ao completar 10 anos de trabalho dedicado aos vinhos brasileiros. 
Que jornada fantástica!
Durante este tempo tive a oportunidade de conhecer bem de perto o que é feito em nosso país, sentir a força e as nuances da nossa terra e clima, conversar com produtores, provar a uva no pé e tomar o vinho pronto juntos para entender sua filosofia e visão de fazer o vinho. Até mesmo coloquei “a mão na massa”!  Tudo isso me faz afirmar hoje, com toda convicção, que o Brasil produz sim bons vinhos, com características e identidade próprias. É bom vinho brasileiro!
 
Para comemorar este marco no meu trabalho com vocês trago duas novidades: primeiro apresento a nova imagem da minha marca, a Madame do Vinho, que me acompanhou discretamente nestes 10 anos e que agora ganha sua identidade própria. 
Ela traz toda a alegria, o prazer e o orgulho que sinto em realizar este trabalho!
 
Voilá:
 
Ela estará a partir de agora lado a lado comigo e será minha grande parceira no trabalho de divulgação dos nossos bons vinhos brasileiros e de garimpar novos. 
E já posso adiantar: vem coisa boa por aí! Começando pela segunda novidade que trago hoje para vocês, o vinho mais antigo em produção atualmente no Brasil, desde 1971: o Velho do Museu. 
Neste momento o Atelier Carrau está comercializando a safra 2004, ano em que dei início a este projeto. No mesmo momento em que as uvas eram colhidas e transformadas em vinho eu me lançava a esta empreitada. Durante estes anos busquei vinhos autênticos que expressassem a genuína identidade da vinicultura brasileira. Ao mesmo tempo a família Carrau se esmerava em aprimorar seu trabalho sem perder sua identidade original, surgida do potencial vislumbrando por juan Francisco Carrau quando visitou o Brasil pela primeira vez. 
2014 é também o ano em que o Velho do Museu marca sua volta ao mercado. Então tantas coisas em comum me fizeram escolher este vinho de também 10 anos para marcar este momento. 2004 foi uma safra bem especial, não tão seca e quente como a mítica safra de 2005, que gerou vinhos mais potentes, mas que teve condições equilibradas entre calor, luminosidade e chuva na medida certa, gerando vinhos com qualidade, equilíbrio e com a genuína identidade da Serra Gaúcha, que eu aprecio tanto pessoalmente e no meu trabalho!
Consegui condições bem especiais para trazer este vinho até vocês ao mesmo preço que é vendido na vinícola. Mais informações sobre a história do produtor e deste clássico da vinicultura do Brasil você encontra mais abaixo.
 
Estou muito feliz, meus amigos, e brindo com vocês a estes 10 anos e a muitos outros mais que virão!
 
 
Grande abraço.
Sucesso! É o que lhe desejamos!

 

ATELIER CARRAU

 

Entre uma maioria de italianos e alguns franceses, também espanhóis enxergaram no Brasil, em particular no Rio Grande do Sul, o potencial para fazer bons vinhos. E que vinho! Nada mais do que aquele que se tornou a Lenda do Vinho Brasileiro, o mais antigo vinho a ser produzido atualmente no país, desde 1971: o Velho do Museu.

A história deste vinho começa na Cataluña, de onde a família Carrau imigrou para o Uruguai em 1930, trazendo na bagagem a experiência de 10 gerações em vinicultura. Do Uruguai Juan Francisco Carrau veio para a Serra Gaúcha em 1964, onde já tinha vislumbrado potencial de mercado para o consumo de vinhos e de uma região ideal para produzí-los. Em 1968 implantou as primeiras vinhas de Cabernet Franc e Merlot na região de Caxias do Sul, construindo também uma vinícola inspirada na planta original de um castelo medieval espanhol do século XI. Quem já foi a Caxias do Sul com certeza vai se lembrar deste castelo, o Chateau Lacave, já não mais propriedade da família Carrau e hoje um marco turístico para a região.

Visionário e empreendedor, em 1978 seu olhar se voltou para a promissora Campanha Gaúcha, escolhendo Santana do Livramento para plantar Cabernet Sauvignon e Gewurztraminer, vinhedos que em 1994 passaram a ser cultivados em sistema orgânico, os primeiros certificados no Brasil.

Depois de um tempo distante do mercado, o Velho do Museu volta com a importante missão de nos contar esta história importante para o Brasil e de ajudar a entender o estilo natural e autêntico do vinho brasileiro, que a família Carrau fez questão de preservar nestes 43 anos.

 

VELHO DO MUSEU 2004              R$ 94,00

 

 

About silviafranco

Wine writer.
This entry was posted in Notícias, Uncategorized, Vinhos and tagged , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s