Vinhos portugueses ainda por descobrir by Luiz Horta. E importar!!!

Image

Quando a gente pensa que todos os bons vinhos portugueses já estão aqui, descobre que há ainda muito coisa boa por degustar e por vir.

Luiz Horta degustou 250 vinhos e selecionou 20 produtores que vale a pena importar!
E é disto que se trata a Find Importer Day que a ViniPortugal promoveu hoje, terça-feira, dia 18/3/14 no Consulado português em S. Paulo,  para ir ao encontro das necessidades dos produtores, identificar e dirimir dificuldades, e – para nós enófilos – descobrir que tem muita coisa boa em terras de Portugal que merecem desembarcar no mercado brasileiro.
 
Para começo de conversa, destacamos os vinhos de Luis Seabra, com quem estivemos em 2007, época em que visitávamos Dirk Nieeport com quem ele trabalhava. Pois agora, Luis Seabra faz vôo solo e com muita categoria, são belos vinhaços, todos 2013:  Granito Cru Alvarinho da região Monção Melgaço (que faz brancos magníficos),  Xisto Cru do Douro e o Xisto Cru,  com a bofete, casta difícil e interessantíssima.
 
Outra belíssima surpresa são os vinhos da Gota de Natalia Jessa, em especial o Prunus 2012 branco que estagia em betão (cimento) por 4 meses.
Para os amantes de brancos, a dica é Casa de Vilacentinho de João Maia. Seu Vinho verde  é fresco com saborosas agulhinhas em boca. O Casa de Vilacentinho Colheita Selecionada Avesso 2012 é deliciosamente cremoso e sedoso. O Loureiro é sensual. E o seu Azal, um branco à base de Azal é tímido no aroma e cativante em boca. Azal é casta de alta acidez que vem perdendo espaço em Portugal, nos informa Jancis Robinson em seu enciclopédico Wine Grapes, e recomenda a Casa de Vilacentinho como dos melhores produtores de azal. Eu recomendaria a Vilacentinho para brancos em geral, tudo muito bom e cada qual com personalidade e gostosura próprias.
Sanguinhal da região de Lisboa já encantou até Fernando Pessoa que fez uma dedicatória a Abel Pereira da Fonseca,  avô de Carlos João Pereira da Fonseca, confessando ter bebido a ponto de estar em “flagrante delictro”, delictro mesmo e não delito…
Seu Casabel Special Selection branco é cremoso, cítrico e o tinto uma beleza. Para deixar qualquer um, poeta ou não, em flagrante delictro! Seu Sottal à base de moscatel, arinto e vital, apenas 9,5%, outra alegria!
Ervideira  do Alentejo faz um Conde D’Ervideira Reserva muito mineral, cremoso e fresco à base de Antão Vaz. E um especialíssimo Invisível, um blanc de noir de aragonês magnífico.
Secret Spot Wines traz um tinto blend field denso, estruturado, encorpado e delicioso, o complexo Vale da Poupa Old Vines e o Lacrau. E o soberbo Secret Spot + 40 anos, um moscatel galego muito sedutor e sensual.
Notas de degustação 
 
Granito Cru Alvarinho Luis Seabra 2013 da região Monção Melgaço
Aromas minerais, cremoso, cítrico e mineral em boca.
 
Xisto Cru do Douro Luis Seabra 2013
Corte de rabigato e mais 20 castas do Douro. Apenas 12,5 de graduação alcoólica, vindo do Douro.
Fresco, bela acidez!
contato:lseabrawine@gmail.com
 
 
Prunus 2011 Dão, Gota Ltda
Corte de touriga nacional, tinta roriz, jaen e alfrocheiro
 
Prunus 2012 Branco Dão, Gota Ltda
Cerceal  branco, malvasia fina, bical e encruzado
Belo aroma, untuoso e cítrico em boca com muita personalidade. Estagia 4 meses em betão (cimento).
contato: natalia.jessa@gotawine.com
 
 
Casa de Vilacentinho Colheita Selecionada
São todos bons: os  Colheita Selecionada Avesso, Loureiro, Arinto e Azal (recomendado por jancis Robinson).
contato: joao.maia@casadevilacentinho.pt
 
 
Sanguinhal Casabel Special Selection branco e tinto e Sottal
Lisboa. Contato:info@vinhos-sanguinhal.pt
 
Ervideira Conde D’Ervideira Reserva e Ervideira Invisível (belo blanc de noir)
contato: marta@ervideira.pt ou duarte@ervideira.pt
 
 
Secret Spot WinesBelos tintos, belo Lacrau branco e o de Moscatel Galego, fantástico.
Lacrau branco mineral, fresco e cremoso, fermenta em barrica e passa 8 meses sur lees.
contato: hugolinton@secretspotwine.com
 
 
De parabéns Luiz Horta pela bela seleção de vinhos portugueses!

Para saber mais

O vinhos selecionados por Horta para estrear no mercado brasileiro provêm das várias regiões, tais como Beira Interior (01), Alentejo (7), Dão (3), Vinho Verde (2), Lisboa (1), Douro (6) e Península de Setúbal (1), algumas delas bem pouco conhecidas dos brasileiros, e que devem surpreender por seu caráter único.

Após a degustação de inúmeros vinhos portugueses, Luiz Horta considera que “Os vinhos portugueses têm algo inestimável no mundo: castas autóctones em profusão, tradição na elaboração e riqueza de estilos. Alguns vinhos da nossa região são bons, pelo aperfeiçoamento de uma casta, como a Malbec na Argentina e a Tannat no Uruguai. Sou entusiasta daqueles vinhos, mas nada consegue superar a pluralidade dos vinhos portugueses. Afinal, onde se encontram coisas como um Madeira, um Porto de 40 anos? Portugal corre no seu próprio trilho, sem concorrentes.”

Para Horta, “Portugal soube inovar sem perder o vínculo com o passado. O horizonte é amplo, há grandes vinhos para qualquer ocasião. No panorama vinícola Portugal só encontra paralelos na França e Itália, oferecendo melhores valores”. O crítico salientou que as provas fortaleceram a sua opinião sobre os vinhos portugueses. “Há regiões esquecidas como o Dão que precisam ser redescobertas e novas regiões. Há muitas uvas pouco conhecidas, há um mundo compactado em um espaço tão pequeno.”

Na opinião de Luiz Horta, o mercado brasileiro “é pouco atrevido, costuma repetir suas certezas. Acho que, pela ligação histórica com Portugal e Itália, precisava arriscar, provar um branco do Douro com bacalhau, um tinto sem madeira do Alentejo com pizza.”

Sobre Luiz Horta

Luiz Horta é jornalista de gastronomia e vinhos, tendo colaborado com as revistas Gula, Wine Style e o jornal Folha de S. Paulo. Foi colunista do caderno Paladar, do jornal O Estado de S. Paulo, desde sua criação há 8 anos atrás até recentemente.

É consultor da Jancis Robinson para as publicações Atlas Mundial dos Vinhos e Oxford Companion to Wine. Traduziu, entre outras publicações, as Memórias de Jancis Robinson e livros de Jeffrey Steingarten, Daniel Boulud, Anthony Bourdain. Publicou a coletânea “O melhor do comer e beber” e recentemente lançou o livro ”Vinhos que cabem no seu Bolso”.

Sobre a ViniPortugal

A ViniPortugal é a associação Inter profissional do setor vitivinícola que tem como missão promover a imagem de Portugal, enquanto produtor de vinhos por excelência, valorizando a marca “Vinhos de Portugal” e contribuindo para um crescimento sustentado do volume e do valor dos vinhos portugueses, assim como da sua diversidade. Promove os vinhos tranquilos portugueses em 11 mercados internacionais.

A ViniPortugal agrupa estruturas associativas e organizações de profissionais ligadas ao comércio (ANCEVE e ACIBEV), à produção (FENAVI e FEVIPOR), às cooperativas (FENADEGAS), aos destiladores (AND), aos agricultores (CAP) e às regiões demarcadas (ANDOVI).

O seu Plano de Marketing para 2014, no montante de 7,5 Milhões de euros, atingirá 11 mercados internacionais estratégicos, onde serão implementadas mais de 100 ações de diferentes perfis.

About silviafranco

Wine writer.
This entry was posted in Uncategorized and tagged , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s