O Brunello di Montalcino de Galvão Bueno

Image

Galvão Bueno deixou por um momento as narrativas esportivas para lançar seus Bueno-Cipresso Brunello di Montalcino, produzidos com Roberto Cipresso, flying consultant de Achaval-Ferrer e também na Toscana.

Como Galvão Bueno diz, rodando o mundo para cobrir eventos esportivos, ele experimentou e conheceu culturas diversas e a do vinho o encantou sobremaneira! E tratou de introduzir esta nova paixão, a do vinho, em sua vida empresarial.

Saiu em busca do  perfeito terroir brasileiro, fundou na região de Seival da Campanha Gaúcha, no Paralelo 31 a Bueno Bellavista Estate, na mesma latitude dos vinhos produzidos na Argentina, Austrália, Nova Zelândia e África do Sul. E fez seu primeiro corte com a consultoria de Michel Rolland e vinificação na Miolo.

E hoje, 25 de fev. 2014, lançou seu Bueno-Cipresso Brunello di Montalcino noVinheria Percussi, cuja cozinha, de Silvia Percussi, é mais que perfeita para harmonizar com a elegância e vigor de seus Bueno-Cipresso Brunello di Montalcino, safras 2004, 2005 e 2007.

Roberto Cipresso é hoje diretor técnico da Bueno Bellavista que tem Danilo Cavagnicomo diretor executivo e que nos garante que a partir de 3 de março os Bueno-Cipresso Brunello di Montalcino já estarão no mercado.

Brunello di Montalcino é o vinho top da Toscana, o mais raro, o mais caro e de longuíssima guarda, produzido com 100% brunello (belo moreno no dialeto local), um clone especial de sangiovese. Por lei deve amadurecer mais tempo do que outros vinhos italianos: 4 anos, dois em carvalho, dois afinando em garrafa. O Reserva deve amadurecer por 5 anos,, sendo dois anos e meio em carvalho. A produção é pequena, o que faz ainda mais raro.

E a ideia de Galvão Bueno é fazer um vinho no limite com grande caráter. E tem feito! Não precisa esperar o brunello, basta degustar seu espumante Bueno Cuvée Prestige, vinificado na Miolo deAdriano Miolo, para conferir a qualidade!

Notas de degustação 

São 3 safras e 3 expressões diversas. O terroir leva a safras diferentes a cada ano, como recorda Roberto Cipresso.

2005 é uma safra muito refinada e 2004 é uma safra explosiva, generosa. 2007 é uma homenagem ao equilíbrio.

Bueno-Cipresso Brunello di Montalcino 2007 !!!

Passa 10 dias em tanques de carvalho eslavo, (da Eslavônia) com remontagens diárias. Amadurece 24 meses em barricas de carvalho francês de 1˚ e 2˚ uso. Envelhece 36 meses em garrafa antes de ir ao mercado.

Rubi profundo em taça.

Elegante, denso, envolvente, macio, complexo. Muito equilibrado e elementos muito integrados. Grande Brunello e de bela expressão. Um Brunello ainda jovem, estruturado.

Notas de frutas vermelhas, um toque de tabaco e floral.  Em boca, austero, taninos sedosos e presentes, bela acidez gastronômica, bem italiana.  R$350

Bueno-Cipresso Brunello di Montalcino 2005 !!!+

Passa 12 dias em tanques de carvalho eslavo, (da Eslavônia) com remontagens diárias. Amadurece 24 meses em barricas de carvalho francês de 1˚ e 2˚ uso. Envelhece 36 meses em garrafa antes da venda.

Ainda muito jovem. Frutos do bosque, couro, baunilha no nariz.

Muito refinado, acidez mais acentuada, elegância é o seu nome!

Acidez italiana deliciosa, a melhor expressão da brunello, em sua melhor expressão. Extremamente elegante e refinado. Complexo, grande Brunello. Um vinho sutil e “leve” em boca. Um brunello para connoisseurs. R$350

Bueno-Cipresso Brunello di Montalcino Riserva 2004 !!!+

O mais jovem de todos na aparência.

Na taça rubi vivo e brilhante, vivaz!

Aromas complexos, inebriantes, frutas vermelhas, potente e intenso. Muito denso. De  uma safra muito quente.

Em boca taninos presentes e potentes.

Muito estruturado. Para guarda por muitos anos, 20 anos.

De parabéns Galvão Bueno, Adriano Miolo e Roberto Cipresso por esta associação empreendedora e altamente sofisticada. Saúde e sucesso!!

About silviafranco

Wine writer.
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

2 Responses to O Brunello di Montalcino de Galvão Bueno

  1. Savio says:

    Prezada,
    Há um erro de tradução bastante comum, e que se perpetuou, em respeito ao carvalho da Eslavonia (que fica na Croácia – não Eslovênia). O correto é carvalho eslavo, (da Eslavônia), não esloveno.
    Saudações,
    Savio

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s