Os vinhos dos vulcões chilenos

Se algum marciano descesse à terra, depois de um encontro com o robô espacial Curiosity, e decidisse provar alguns dos vinhos vindos das terras “fecundadas” pelos vulcões chilenos, haveria sem dúvida de concluir que os vulcões são uma benção…

Certamente, não é preciso ver o estrago em Pompéia e Herculano ou no Chile para saber que essas montanhas de fogo jorram lava e destruição, mas os terrenos por eles “lavados” são extremamente interessantes para o cultivo de videiras. Que o diga quem já provou os vinhos da Bodegas Volcanes de Chile.

A Zahil traz ao país vinhos saborosos e para todos os bolsos desta bodega Volcanes de Chile cujo foco é expressar o terroir vulcânico. Considerando que o Chile tem nada menos do que 2.950 vulcões, muitos deles ainda ativos, o que não falta é terroir. Bodegas Volcanes de Chile faz vinhos no Vale de Rapel, em Bío Bío, no Vale Central etc.  e com as mais diversas castas – afinal, diversidade é o que mais há no Chile.

A enóloga María del Pilar Díaz, da Bodega Volcanes de Chile, está no Brasil para apresentar seus deliciosos vinhos de solos vulcânicos às  cidades de São Paulo, Santos, Recife, Salvador, Brasília e Curitiba.

No portfolio da Zahil estão alguns dos rótulos mais premiados e melhor pontuados da Volcanes de Chile, entre eles o Summit 2900 Reserva Sauvignon Blanc e Parinacota, que receberam 91 pontos no Guía Descorchados 2012. E ainda de quebra traz o saboroso e complexo  Tectonia Pinot Noir (Descorchados – 89 pontos), merecedor da Medalha de Ouro na categoria Pinot Noir do 9th Annual Wines of Chile Awards.

Na categora BB, bom e barato, está o Summit 2900 Cabernet Sauvignon do Vale Central. Um vinho frutado, simples e correto para o dia a dia e com um bom preço R$33. É macio, sedoso em boca e no nariz toda a tipicidade da cabernet sauvignon.

Na categoria mais acima e ainda assim bem acessível, está o Summit 2900 Reserva Cabernet Sauvignon, um tinto mais instigante e sedoso, perfeito para grelhados. Por R$ 47.

O Tectonia Pinot Noir do Vale do Bio-Bio tem toda a tipicidade do pinot noir, algo terroso, uma especiaria e muita elegância. Um pinot noir que vem do limite do clima, como revela Maria Díaz no vídeo, mas com personalidade e finesse. R$95.

Parinacota é um premium do Vale do Maule, 85% syrah e 15% carignan. Um tinto encorpado, complexo, sedoso e de muita personalidade. Um belo vinho por R$109.

Volcanes de Chile sabe preservar a expressão única das terras vulcãnicas com o uso discreto de barris de carvalho franceses. Bravíssimo!

O vídeo se encontra no meu website Vinho e Gastronomia que pertence ao Enoblogs, mas por capricho das tecnologias não se consegue um link que funcione…  Confira lá o vídeo:
http://vinhoegastronomia.uol.com.br/destaque/os+vinhos+dos+vulcoes+chilenos

About silviafranco

Wine writer.
This entry was posted in Notícias, Vinhos and tagged , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s