Domaine Drouhin elabora 90 vinhos de 90 apelações em 75 hectares! Nem dá pra crer!

É difícil de acreditar,mas o Domaine Joseph Drouhin elabora 90 vinhos diferentes, pinot noir ou chardonnay, de 90 diferentes apelações! E tudo, pasmem!, com leveduras selvagens e cultivo biodinâmico! E o fazem não por modismo, mas porque já há
muitos anos, observaram que as químicas não favoreciam nem a pureza de seus vinhos e obscureciam as características do terroir. Ah, e ainda fazem seus próprios barris. Escolhem e compram as árvores. Um perfeccionismo só!

Os vinhos do Domaine Joseph Drouhin têm uma pureza, um foco, um equilíbrio fantástico! São mais de 75 hectares de terras na Borgonha, na maioria classificados como Grand Cru e Premier Cru. Só podem ser bons mesmo e caros.

E tudo é feito em família. A irmã Veronique é a enóloga. O irmão mais velho cuida dos vinhedos. E trabalham  tanto aqui, no Novo Mundo, no Oregon, quanto lá, na Borgonha. Vivem cruzando os mares cuidando aqui e lá de seus vinhedos. Provei o chardonnay do Oregon  deles a primeira vez na Vinexpo Bordeaux  2007 e fiquei impressionada. Nada a ver com o chardonnay americano com aquela profusão de madeira e frutas que recordam Carmem Miranda.

Confira no vídeo a entrevista (em inglês) que fiz antes de ontem, na terça dia 20, com Frédéric Drouhin, o presidente do Domaine Joseph Drouhin – importação da Mistral – que veio ao Brasil pela primeira vez e neste ano também é presidente do Primeiras
Famílias do Vinho.

Os vinhos

Dos 90 vinhos de 90 apelações, tivemos a oportunidade de degustar 8, portanto só me faltam 82, que espero degustar no dia 29 de setembro na sede do Domaine, à rue d’Enfer em Beaune. De modo geral pode-se generalizar e afirmar que os vinhos – brancos ou
tintos – do Domaine Joseph Drouhin evoluem e evoluem e evoluem e evoluem na taça.

* Saint Véran 2008: um best buy, US$47,90  de aromas exuberantes, fresco e saboroso. Fez uma dobradinha danada de boa com o caldinho de feijão do Dalva e Dito.

* Chablis Vaudésir Grand Cru 2009 aroma cativante e envolvente, cítrico, cremoso. Elegante.

* Beaune Clos des Mouches Blanc 2009: complexo, mineral, denso, em uma palavra: magnífico. Um branco sensual, cheio de graça e harmonia. Meu preferido entre os brancos. US$289.90.

* Côte de Beaune 2008: um pinot noir com toda a tipicidade da casta. Fácil,alegre e feliz. Inclui parcelas de vinhedo jovem de Beaune Clos de Mouches e de
outros Premier Cru. Notas de frutas silvestres, amplo, sedoso, uma alegria. US$ 94,50.

*Gevrey-Chambertin 2009: é um villages fino e elegante, macio, de
mais corpo e densidade. US$189.

* Domaine Drouhin Oregon Pinot Noir 2008: é o Novo Mundo. Um
pinot elegante com o porte do Novo Mundo. US$99.50. Para mim, este Drouhin
Oregon
é superior aos pinots que tenho tomado nas terras do tio Sam, que são mais pesados e menos graciosos.

* Beaune Clos des Mouches Rouge 2008:é o ícone do Domaine. Sensual, complexo e delicioso. Leva um pouquinho de pinot gris. US$229.50

* Clos de Vougeot Grand Cru 2003: Salomão Schvartzman da BandFM
(e de quem sou fã, desde os tempos do Show da Manhã na FM Cultura), sentado ao
meu lado, aguardava ansioso o momento de servirem este vinho.  Foi degustar para entender perfeitamente a ansiedade deste grande radialista. Este vinho, o último é, com certeza, o maior. Grande estrutura, muito corpo e volume de boca, frutas maduras, sedoso. Uma paixão. US$ 273.50

Joseph Drouhin

Fundado em 1756 e comandado pela família Drouhin
desde 1880, o Domaine Joseph Drouhin é um dos mais tradicionais da Borgonha. Suas
caves são consideradas patrimônio histórico da França e incluem a antiga
adega dos Cardeais de Beaune (do século XIII), as adegas dos Duques da Borgonha
(do século XIV) e as adegas dos Reis da França em Beaune (do século XVI). Em
2007, a Maison festejou 250 anos de existência — um verdadeiro marco
mesmo para a antiga viticultura francesa.

Drouhin foi indicado pela revista inglesa Decanter
como uma das Maisons mais confiáveis na Borgonha. A publicação elogiou
muito seus “vinhos puros e elegantes, muito finos tanto em tintos quanto em
brancos
”. Segundo o Master of Wine Clive Coates, Joseph Drouhin é “um dos
maiores perfeccionistas entre todas as maisons de Beaune”, elaborando “tintos
e brancos soberbos
”. Para a revista Burghound, a mais importante referência
para vinhos da Borgonha, “o estilo da casa exala finesse e elegância”,
representando alguns dos mais notáveis ícones dos diversos crus da região.

About silviafranco

Wine writer.
This entry was posted in Como se faz o vinho, Notícias, Vinhos and tagged , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s