O bordalês chileno da Domus Aurea

A Zahil está com novidades no catálogo. Novidades para todos os gostos e bolsos. Degustei três chilenos bordaleses, finos, elegantes, e pasmem! mesmo corte, mas preços e qualidade diferentes. O denominador comum é a elegância e finesse, além do corte bordalês, claro. Afinal os enólogos são dois bordaleses: o consultor Patrick Valette e Jean-Pascal Lacaze. Os três vinhos são da Quebrada de Macul, no Maipo, Chile e apresentam cortes semelhantes. Bernardo Silveira da Zahil, que acaba de terminar todas as provas do Wine & Spirits, em Londres, revela no vídeo como é que três vinhos de cortes tão parecidos, se saem tão diferentes entre si.

Alba de Domus 2007: Cabernet Sauvignon 60%, Merlot 20%, Cabernet Franc 20%, 18 m carvalho, 14,5% alc. R$ 109. Nariz: frutado, morango maduro, chocolate, redondo, encorpado sedoso e saboroso. Um deleite. E cabe no bolso para ocasiões especiais. Meu preferido até porque cabe no orçamento.

Stella Aurea 2007: Cabernet Sauvignon 60%, Merlot 20%, Cabernet Franc 20%, 18 m carvalho, 14,9% alc. R$ 159. Um bordalês com mais corpo, maior volume de boca, mais intenso, especiarias e uma bela pegada!

Domus Aurea 2007: Cabernet Sauvignon 86%, Merlot 7%, Cabernet Franc 7%, 18 m carvalho, 13,9% alc. R$ 209. Para decantar. Visual de rubi quase violáceo; no nariz, muita pimenta, tostado, tabaco, café, muita fruta madura, complexo, elegante.

Três bordaleses que a Zahil traz a preço de vinho chileno. Bravo!

About silviafranco

Wine writer.
This entry was posted in Como se faz o vinho, Notícias and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s