O que o Caúcaso tem em comum com N. York? A Rkatsiteli

Neste fim de semana estive na 20ª Boston Wine Expo, a maior feira de vinhos dos Estados Unidos que neste ano completou sua 20ª edição. Mais de 400 vinícolas de 13 países no Seaport World Trade Center. Os seminários iam de Vertical de Stag’s Leap (2001-08) aos vinhos da Maison Joseph Drohin, apresentados por nada menos que Laurent Drohin (Primum Familiae Vini).

E o melhor, é que você tem a oportunidade de fugir de mesmices. Tal como: degustar os vinhos da República da Geórgia, esta mesma onde recentemente descobriu-se as ruínas de uma vinícola de 7 mil anos!

 Ali estava a Telavi Wine Cellar (Marani) situada no Cáucaso junto ao vale do rio Alzani, uma vinícola fundada em 1915 e que desde 1997 investiu pesadamente em modernização. Tanques de aço inox, temperatura controlada, barricas francesas e enólogos da França e Austrália. Os vinhos são todos de uvas nativas da região e muito saborosos. Mas nem todos são tão modernos assim.  O premium deles é feito segundo a tradição milenar: Satrapezo 2006 Saperavi.

Para mim foi o melhor de todos os vinhos este premium Satrapezo 2006 Saperavi, um vinhaço de aroma intenso, sedoso e cremoso, elegante e equilibrado feito à moda tradicional do Cáucaso de milênios atrás: fermenta em ânforas (revestidas internamente por cera de abelha para evitar a porosidade natural da argila) enterradas na terra por um mês. Uma dica interessante para o crítico chileno Patricio Tapias que vem tentando fazer syrah em ânforas lá em Lo Abarca, Chile. Após a malolática, o vinho passa em seguida 24 meses em barricas novas francesas (o pessoal da Geórgia parece querer distância das barricas russas que fazem sucesso na Europa…). O vinho é uma beleza! Confira no vídeo 

Simples e delicioso é o Kondoli Rkatsiteli, 100% Rkatsiteli, uma uva branca, saborosa e segundo o expositor, a uva do futuro. Uma surpresa descobrir no stand de Finger Lakes, Nova York, que a Dr. Frank’s Vinifera Wine Cellars (vinícola 4 estrelas no guia 2011 de Hugh Johnson)  produz Rkatsieli ali plantada pelo Dr. Frank em 1957.

Provocante foi degustar o Marani Mukuzani Saperavi feito com a uva Saperavi. Ao primeiro gole identifiquei Syrah. E me explicaram: Saperavi é a avó da Syrah e tem idêntica estrutura genética. Este Marani Mukuzani Saperavi apresenta um aroma intenso, envolvente, mas é mais seco do que um vinho Syrah e mais gastronômico também. E é AOC. Um prazer de vinho!

About silviafranco

Wine writer.
This entry was posted in Como se faz o vinho, Vinhos and tagged , , , . Bookmark the permalink.

One Response to O que o Caúcaso tem em comum com N. York? A Rkatsiteli

  1. Thank goodness some bloggers can still write. Thanks for this read!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s